Colégio Internacional dos Terapeutas - CIT

O Colégio Internacional dos Terapeutas - CIT foi criado em 1.992 a partir de uma intuição de Jean-Yves Leloup , constituindo-se, naquele momento, como Órgão Complementar Interno da Universidade Holística Internacional de Brasília – UNIPAZ, mantido e administrado pela Fundação Cidade da Paz, não tendo personalidade jurídica própria. No Brasil é coordenado por Roberto Crema, atual reitor da Unipaz.

Reúne terapeutas de diversos horizontes e competências, reconhecendo-se dentro de uma antropologia , uma ética , uma prática e orientação comuns, centrados no Cuidar do Ser .

Inspira-se na tradição dos Terapeutas do Deserto, e oferece um olhar sobre o ser humano que respeita suas diversas dimensões: o corpo, a psique, a consciência e a essência, em busca da Inteireza Humana.

Não sendo de cunho formativo, o CIT acolhe terapeutas já formados, das mais diversas competências e orientações, que se aliam em torno de uma visão holística; de uma escuta acolhedora das múltiplas dimensões do todo humano; de uma ética rigorosa e aberta de respeito à inteireza; de uma prática transdisciplinar na área de saúde integral e da arte do cuidar do Ser.

A partir de uma visão de ecologia profunda, e de uma definição de saúde como um estado de bem estar psicossomático, social, ambiental e cósmico, postulada pela Organização Mundial de Saúde, três categorias de terapeutas são reconhecidas:

Área Clínica - profissionais clínicos habilitados, tais como psicólogos, psiquiatras, médicos, enfermeiros, entre outros

Área Social - profissionais que cuidam do corpo social como assistentes sociais, educadores, consultores organizacionais, empresários, administradores, políticos, cientistas sociais, sacerdotes, artistas, antropólogos, filósofos, entre outros

Área Ambiental – profissionais que cuidam do meio ambiente, da natureza: biólogos, ecólogos, engenheiros florestais, arquitetos, entre outros.

A tarefa de ser agente de saúde, portanto, é estendida a todo ser humano, que se importa pelo bem estar, de si, de todos e de tudo, abrindo-se à responsabilidade de cuidar. O que alia os participantes do CIT são sua Dez Orientações Maiores.

AS DEZ ORIENTAÇÕES MAIORES

1. Antropologia holística - uma onto logia e cosmologia, que implica no reconhecimento da tríplice condição existencial, físico-psíquico-consciencial, atravessada pelo mistério do Ser;

2. Ética da benção e do respeito à inteireza - jamais reduzindo o ser humano a um rótulo, também cuidando, nele, daquilo que não é doente, a partir do qual uma dinâmica de cura é ativada;

3. Prática diária meditativa do silêncio - visando a centralidade e abertura à transcendência;

4. Prática diária do estudo dos textos contemporâneos e os da sabedoria perene, visando uma permanente atualização;

5. Prática diária da gratuidade, para o exercício da solidariedade, do serviço desapegado ao outro, à sociedade, ao universo;

6. Reciclagem, um compromisso de vivenciar, anualmente, um tempo-espaço de recolhimento para uma revisão, reflexiva e meditativa, do processo de individuação;

7. Reconhecimento da necessidade de ser acompanhado por uma escuta terapêutica, evitando o risco da inflação egóica do julgar-se pronto, estancando o processo contínuo de aprendizagem e aperfeiçoamento;

8. Anamnese essencial, através de registros sistemáticos das vivências, no estado de vigília e no onírico, que evidenciam a presença numinosa do Ser, na existência cotidiana;

9. O despertar da Presença
,
a tarefa de lembrar o que realmente somos, o Ser que nos funda e informa,

 

Lista dos Terapeutas do CIT

através da respiração, da invocação, ou da atenção plena ao instante;

10. A fraternidade, através de um ritmo de encontros para a sinergia, o estudo partilhado, a comunhão meditativa.

COMO SE TORNAR UM MEMBRO DO CIT

Para as pessoas interessadas em ser membros do CIT, o pré-requisito, no Brasil, é ter participado da Formação Holística de Base, da UNIPAZ. A partir daí, escreve uma carta de interesse em ser aspirante e solicita a um terapeuta do CIT que seja seu acompanhante. Como aspirante deverá ser acompanhado por tempo indeterminado, nunca inferior a um ano. A acolhida no CIT acontece através de um ritual simples e profundo, em que o terapeuta, caso seja reconhecido como tal, recebe um manto, para envolver-se nos momentos íntimos de sua prática meditativa, que representa a sua conexão, com a qualidade que esta consciência confere, como um elo de uma corrente, que remonta aos Terapeutas de Alexandria.

Os requisitos para participação são os seguintes:

Terapeuta clínico: ter uma reconhecida prática clínica profissional como terapeuta ou de trabalho com orientação terapêutica; ter realizado uma formação holística de base ou equivalente, conhecer e praticar as Orientações Maiores; apresentar uma Memória ou anamnese; ingressar numa Casa e cumprir o estágio de Aspirante, apresentando uma qualidade de Ser e congruência individual que ateste o seu aprendizado integral neste caminho e participar, com aprovação, do Ritual de Acolhida ao CIT.

Terapeuta não-clínico: ter uma reconhecida prática profissional em sua área de atuação; ter realizado uma formação holística de base ou equivalente, conhecer e praticar as Orientações Maiores; apresentar uma Memória ou anamnese; ingressar numa Casa e cumprir o estágio de Aspirante, apresentando uma qualidade de Ser e congruência individual que ateste o seu aprendizado integral neste caminho e participar, com aprovação, do Ritual de Acolhida ao CIT.

Ouvinte: ter realizado uma formação holística de base ou equivalente, conhecer e praticar as Orientações Maiores e ter participado, pelo menos durante um ano, das atividades do CIT.

PASSOS PARA SER ASPIRANTE DO CIT

1 •  Ter concluído todas as fases da Formação Holística de Base, da UNIPAZ, inclusive a apresen­tação da Obra-Prima (conclusão da 3ª fase).

Obs.: Algumas exceções serão aceitas, no caso do(a) interessado(a) ter percorrido compro­vadamente um caminho equivalente, aprovado pela UNIPAZ ou por seu notório saber/fazer/ser na abordagem transdisciplinar holística.

2 •  Solicitar oficialmente, por escrito e através de um encontro pessoal a um(a) Terapeuta do CIT, que seja seu(sua) Terapeuta Acompanhante e o(a) aceite como Aspirante.

3 •  O Terapeuta verificará se há uma boa ressonância entre Aspirante-Acompanhante e se o(a) aspirante a Aspirante reúne os níveis de integração, experiência e congruência, pelo menos básicos, para seguir nesta especial trilha.

4 •  Ser acompanhado(a) durante um prazo mínimo de um ano, colocando em prática, no cotidiano, as Dez Orientações Maiores do CIT. Participar de eventos do Colégio e estudar a bibliografia pertinente, de modo especial a Bibliografia introdutória ao CIT, que contêm a Coleção UNIPAZ -C IT , bem como o Manual do CIT .

5 •  Quando o(a) Aspirante se considerar pronto, na sua percepção e na de seu Acompanhante, o Terapeuta encaminhará a solicitação de Acolhida do Aspirante a uma Casa do CIT, juntamente com a sua anamnese - Texto Testemunha..

6 •  O Aspirante receberá do seu Terapeuta Acompanhante a informação sobre a sua apresen­tação à Casa do CIT. Nessa ocasião o Aspirante poderá ser acolhido ou informado da necessidade de mais um tempo de acompanhamento.

 

voltar ao topo